Posts com a Tag “birra”

2/ago

Filhos se comportam pior quando estão na presença das mães? Um estudo responde!

em Sonho Mágico

Comportamento ruim? Birra?
Você até já suspeitava, mas pensou que era apenas uma desconfiança sua a de que seus filhos se comportam pior quando você está por perto? Você não estava tão errada assim. Um estudo realizado pelo Departamento de Psicologia de Washington revelou que as crianças se comportam até 800% pior na presença de suas mães e nos menores de 10 anos, essa probabilidade se duplica para 1600%.

blog 2

 

Como a pesquisa foi feita?

O estudo foi realizado com 500 crianças nas quais se mediu diferentes aspectos típicos do comportamento infantil, tal como choro e birra, entre outros. De acordo com o professor e psicólogo Leibowitz, o que se descobriu através desta pesquisa é que as crianças de cerca de 8 meses podem estar brincando tranquilamente enquanto suas mães não estão, mas no momento em que as vêem há 99% de chance de que chorem ou peçam a atenção imediatamente.

Outro fato que se comprovou foi que 100% das crianças respondem melhor às ordens ou instruções de uma pessoa que não seja sua mãe. As mães tinham de falar mais alto ou com um tom de voz mais sério para que seus filhos parassem de chorar ou passassem a ouvi-las.

Por que isso acontece?

A razão pela qual as crianças se comportam assim quando veem suas mães é porque elas são sua zona de conforto e podem se liberar. É ali onde sabem que podem descarregar as suas emoções e problemas, porque sabem que não há ninguém melhor do que a sua mãe para fazê-las se sentir bem. Talvez elas venham aguentando por horas porque sabem que não podem chorar já que ninguém vai lhes confortar como sua mãe.

Blog 1

É muito importante notar que este comportamento está longe de ser um sinal de que a criança está sendo mal educada ou a que os pais estão fazendo algo errado. Pelo contrário, isso significa que sua mãe criou um vínculo tão forte que é a única pessoa com quem a criança se sente confortável o suficiente, protegida e segura. Então, se os seus filhos têm esse tipo de comportamento, você tem todas as razões para atestar que você está cumprindo o seu papel de mãe excepcionalmente.

Fonte: http://www.vix.com/pt

MAIS SOBRE: , , , ,


COMPARTILHE
COMENTÁRIOS!
30/set

Dicas para se livrar da birra na hora de vestir

em Sonho Mágico

birra

Quase todas as mamães passam por esta saia justa chama “birra”. Chega uma fase em que os pequenos dão aquele baile na hora de colocar a roupa, fazendo que algo tão simples vire um verdadeiro terror.  A blogueira e mãe Shirley passou por isto e sugeriu em seu blog Macetes de Mãe algumas dicas para amenizar essas birras na hora de vestir.

Vestir roupas de personagens que elas gostam: se a criança está fazendo birra na hora de se vestir  e você está com pressa, uma boa alternativa é tirar da gaveta aquela roupa do personagem que ela ama. É bem mais fácil e rápido convencê-la. Aqui em casa, eu estava quase fazendo um estoque de roupas do Mickey e do Homem Aranha.

Oferecer opções (mas não muitas. Duas é ótimo): essa aprendi com uma amiga psicóloga que presenciou uma cena de birra do Leo na hora de se vestir. A minha solução, no dia, foi levá-lo até o seu guarda-roupas e deixá-lo escolher o que queria vestir (em vez de obrigá-lo a colocar o que eu queria). Só que aí ela me deu a dica: não dar muitas opções para a criança, pois ela se confunde, fica ansiosa e irritada. Dar duas opções e deixá-la escolher. Isso dá autonomia para ela, mas diminui suas dúvidas e controla sua ansiedade.

Se demorar para decidir, contar até 10 e avisar que depois disso quem escolhe é você: dica de uma leitora que eu coloquei em prática e funcionou. Dar a opção da escolha, mas avisar que não tem toda a vida para se decidir. 10 segundos é o suficiente e, depois, o adulto decide o que será vestido caso a criança não escolha (se ela quiser atenção dos pais ela vai postergar a decisão por horas, por isso, tem que dar um limite).

Colar adesivos: a criança não quer colocar a roupa? Torne a roupa divertida. Aqui eu escondia os botões que o Leo odiava com alguns adesivos e, depois, com o tempo, eu tirava-os sem ele ver. Funciou.

Combinar antes: aqui isso quase sempre funciona. Sempre que sei que passarei por uma situação tensa com o Leo (terei que convencê-lo a fazer algo que ele não curte ou não quer) eu combino com ele antes como as coisas acontecerão. Por exemplo: ao acordar, você diz que ele poderá ficar mais um pouco de pijamas mas que, depois, de brincarem (verem TV, lerem uma história juntos, etc…) você irá trocar a roupa dele. E faça a criança concordar com o que foi decidido. Aqui isso é ótimo e costuma funcionar muito bem muitas vezes.

Mostar algum detalhe diferente da roupa (bolso, velcro, botão…): criança adora novidades, então, na hora do chilique para se vestir, eu mostrava algum detalhe diferente da roupa e apresentava aquilo como se fosse a oitava maravilha do mundo – “nossa, Leo! Você viu que tem um bolso aqui? E o que será que tem dentro do bolso? Será que tem uma surpresa? O que será que dá para você guardar aqui? Vamos guardar algo?….”. E assim, eu tirava a atenção dele e ia o vestindo.

Falar que a roupa é nova: nunca menti que uma roupa era nova quando não era, mas as roupas permaneciam novas por semanas aqui em casa (risos!). Ou seja, quando ele ganhava algo novo, eu salientava que era uma roupa nova, bacana, legal, diferente, divertida e, depois, várias outras vezes eu ia vesti-lo com essa roupa lembrando que era a tal roupa nova. Como eu já disse acima, muitas crianças adoram novidades, o que é novo, e aí esse discurso ajuda.

Contar uma história sobre a roupa: um exemplo é lembrar de uma situação legal em que a criança usou a tal roupa. Aí, remetendo à experiência positiva vivida, ele poderá curtir a ideia de se vestir com ela.

Falar que é igual a de fulano ou ciclano: muitas crianças adoram se vestir como os amiguinhos e aí, dizer que aquela roupa é igual ao do amiguinho, do primo, do vizinho ajuda no convencimento.

Fonte: http://www.macetesdemae.com/

MAIS SOBRE: , , , , ,


COMPARTILHE
COMENTÁRIOS!